Nascem bezerros trigêmeos na Embrapa Cerrados

A Embrapa Cerrados (DF) registrou em agosto o nascimento de trigêmeos da raça Nelore. Chocolate, Baunilha e Nevasca, dois machos e uma fêmea, nasceram de uma mesma vaca, Quediva da Cerrados da raça Brasil Genética Nelore (BRGN).

O parto normal ocorreu na madrugada de sábado (14). Sem nenhuma ajuda, a vaca BRGN 1508 deu à luz a três bezerros, que nasceram respirando bem, saudáveis e fortes, com diferença de cerca de duas horas entre o primeiro e o último filhote.

O nascimento de trigêmeos é algo raro, principalmente em rebanhos de corte. Segundo Luiz Osvaldo Rezende, veterinário da Embrapa Cerrados, partos gemelares com sucesso, com mãe e filhotes saudáveis, representam menos de 0,5% do total.

Os trigêmeos causaram surpresa à equipe responsável pelo rebanho. “Em 20 anos de profissão, é a primeira vez que eu vejo o nascimento de trigêmeos. Eles nasceram muito saudáveis, quase com o peso de um bezerro de gestação única, com cerca de 22 quilos cada um”, afirma Rezende, que tem feito o acompanhamento dos filhotes.

Os trigêmeos estão sendo amamentados pela mãe, em revezamento, e também com o auxílio de mamadeira, já que a vaca não tem leite suficiente para três filhotes. Mas um deles já foi praticamente adotado por outro animal do rebanho e também está sendo amamentado por ela.

Rezende acredita que a gestação gemelar pode ter ocorrido devido o tratamento hormonal usado no rebanho. No entanto, explica que em caso de gêmeos e também de trigêmeos ocorre a troca de sangue e anticorpos entre os fetos dentro da placenta, o que causa uma patologia genética nos bezerros, o freemartinismo, que faz com que 90% das fêmeas nasçam inférteis. “No caso dos machos, a infertilidade não é certa. Vamos avaliar os bezerros quando chegarem à idade reprodutiva”, informa.

Informações Embrapa Cerrados

Má qualidade da água afeta o desenvolvimento e a produtividade das bezerras

A água é um insumo fundamental para qualquer espécie animal. Tão importante quanto a própria substância está sua qualidade que, muitas vezes, é negligenciada. “No caso de bezerras, a oferta de água de qualidade inferior pode reduzir em 31% o consumo de concentrado e em até 38% o ganho de peso, além de afetar a ingestão de sucedâneo”, explica o médico veterinário João Francisco Vargas, representante técnico de vendas da Auster Nutrição Animal.

“A água é essencial para o desenvolvimento ruminal, já que a microbiota do rúmen se desenvolve em meio aquoso e, enquanto o leite toma o caminho do abomaso, a água flui para o rúmen. Com isso, a água fornecida às bezerras pode afetar o desenvolvimento do rúmen e o estabelecimento da sua microbiota, alterando seu pH e a passagem dos alimentos, fazendo com que a vaca não desenvolva todo seu potencial produtivo”, elucida Vargas.

A queda da produtividade dos animais é apenas um dos problemas da oferta de água de qualidade inadequada. Está aberta, também, a porta para o aparecimento de infecções, já que os sistemas de fornecimento de água sofrem a ação de biofilme microbiológico e orgânico.

João Francisco Vargas explica que a água contribui com 80% do peso vivo das bezerras e até 70% das vacas. “Com isso, qualquer perda de água, seja por baixo consumo ou diarreia, pode ocasionar desidratação de forma rápida nas bezerras. Ainda temos de considerar que, nesta fase, o sistema imunológico dos animais não está totalmente desenvolvido, tornando-os mais suscetíveis a infecções”, afirma o especialista da Auster.

Entre os principais contaminantes orgânicos da água estão E. coli, coliformes fecais, bactérias heterotróficas e bactérias termotolerantes, que estão agregados ao biofilme que se forma no sistema de fornecimento de água, sendo todos causadores de quadros de diarreias que, quando ocorrem na fase de aleitamento, podem levar à desidratação, perda de desenvolvimento e até óbito. “Já as bezerras que se recuperam desses quadros diarreicos têm seu desenvolvimento atrasado e não atingirão mais seu potencial genético total”.

João Francisco Vargas informa que a água deve ser ofertada para livre demanda desde o primeiro dia de vida, devendo ser “visualmente límpido, sem sólidos parcialmente dissolvidos (restos de comida). Recomenda-se que a água tenha pH entre 6 e 8,4 e, no máximo, 0,1 coliformes fecais totais por 100ml e 1.000 bactérias totais por 100ml”.

Para evitar tais prejuízos à saúde e ao normal desenvolvimento das bezerras, a Auster Nutrição Animal oferece Hydrocare, solução de peróxido de hidrogênio que remove o biofilme do sistema de fornecimento de água e desinfeta sem alterar o seu gosto, mantendo o sistema limpo por um ano, sanitizando a água, diminuindo os desafios sanitários para as bezerras e colaborando na diluição de sucedâneos lácteos.

Para obter a máxima performance das fêmeas jovens, a Auster também conta com a linha Nattimilk de sucedâneos lácteos de alto valor biológico, com todo os nutrientes necessários para o desmame completo e eficiente. A linha Nattimilk é composta por matérias-primas de alto valor biológico, constituídas por vitaminas do complexo A, D, E, complexo B, lisina, metionina e flavomicina, e conta com ingredientes que melhoram a saúde intestinal e o desenvolvimento ruminal das bezerras. A linha Nattimilk proporciona aumento no ganho de peso, melhor sanidade, redução da idade ao primeiro parto, receita adicional com venda de leite e maior produção de leite na vida produtiva.

Informações assessoria de Imprensa

Genética Aditiva promove 17º Mega Leilão no próximo fim de semana

A Genética Aditiva, empresa de melhoramento genético localizada em Campo Grande (MS), realiza nos dias 01 e 02 de agosto, a 17ª edição do Mega Leilão Genética Aditiva.

O evento, que neste ano será virtual, irá ofertar 300 touros Nelore com RGD, DEPs genômicas com altas avaliações genéticas. Veja aqui o catálogo!

Excelente oportunidade para o plantel. Pagamento será em 30 parcelas (2+2+2+2+2+20) e o frete será facilitado.

Serviço:

17º Mega Leilão Genética Aditiva

Data: 01 de agosto – às 10 horas (horário de Brasília)
Transmissão: Terra Viva e Remate Web

Data: 02 de agosto – às 09 horas (horário de Brasília)
Transmissão: Canal Rural, Lance Rural e Remate Web.

Participe!

Clique aqui para mais informações!

Cooperativismo de crédito será tema de live da Girolando

A Associação Brasileira dos Criadores de Girolando realiza nesta quarta-feira (29). a Live “A importância do cooperativismo de crédito para o agronegócio e o desenvolvimento regional”.

O bate-papo poderá ser acompanhado pelo perfil da associação no Instagram @associacaogirolando e terá a participação da gerente de Negócios do SICOOB Credisete, Adriana Vieira, e do gerente de Projetos da Girolando, Bruno de Barros.

A gerente de Negócios do SICOOB Credisete ainda falará sobre o novo Plano Safra 2020/2021, que terá a liberação de R$ 236,3 bilhões em financiamentos para pequenos, médios e grandes produtores.

Segundo pesquisa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), publicada em maio de 2020, cooperativas financeiras mantêm uma taxa maior de sucesso na concessão de crédito para os pequenos negócios durante a pandemia do novo coronavírus, com liberação para 30% das solicitações. O índice é quase três vezes maior do que o registrado por bancos privados, com 11,8%, e nos públicos, com 9,5%.

As cooperativas de crédito também vêm se destacando no setor financeiro pela oferta de produtos e serviços com taxas e juros reduzidos, além de rendimentos que superam a média do mercado.

Participe!

Informações Girolando

Genética Aditiva inaugura o Centro Tecnológico em MS

A Genética Aditiva lançou o Centro Tecnológico Dr. Hélio Martins Coelho, na Fazenda Canaã em Terenos (MS). Idealizado e desenvolvido tendo como alicerce principal a aplicação da ciência no dia-a-dia do campo, o Centro Tecnológico vai apresentar a conexão entre passado, presente e futuro, em honra a seu fundador, que norteou o trabalho de pecuária e seleção na aplicação de toda e qualquer tecnologia disponível para acelerar resultados e produtividade.

O lançamento do Centro Tecnológico visa colocar a estrutura e a rica fonte de dados que é o rebanho Genética Aditiva à disposição da comunidade científica, para novas parcerias no desenvolvimento e condução de pesquisas, experimentos e testes de novas tecnologias.

Dentre as características trabalhadas desde o princípio do criatório, cuja bandeira principal é a precocidade sexual, estão a identificação de fêmeas e machos superprecoces, a seleção para temperamento, as características de carcaça, o desempenho em ganho de peso e a eficiência alimentar.

Tudo isso conduzido sob a rigorosa orientação e supervisão de pesquisadores e profissionais altamente capacitados, para implementação e utilização de todas as ferramentas tecnológicas na obtenção de informações de alta qualidade que são empregadas no processo de seleção através dos acasalamentos dirigidos, escolha dos reprodutores e fêmeas de reposição.

O Centro Tecnológico Dr. Hélio Martins Coelho está aberto à visitação para pecuarista, técnico, pesquisador e estudante. Mais informações:

https://www.geneticaaditiva.com.br/centro-tecnologico

Técnico da Girolando participa de Webinar sobre exportação de embriões

Acontece na próxima segunda-feira, 6 de julho, webinar sobre “Mercado de exportação de embriões bovinos para países da América Latina”.

O evento terá a participação do técnico da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, Marcello Cembranelli, que dará um panorama das exportações de embriões.

Na sequência, o criador de Girolando, Jônadan Ma, falará sobre protocolos e operacionalizações para esse tipo de comércio, relatando sua experiência nesse mercado.

Com transmissão pela plataforma Zoom, o evento ocorrerá das 19h às 20h. O webinar é promovido pela GBF Global.

LINK DE ACESSO WEBINAR: https://bit.ly/3gaOT2B

Meeting ID: 825 2392 9691
Password: 863165

Empresa de saúde animal oferece vagas para programa de estágio

A Elanco Brasil, empresa global de saúde animal, segue até o dia 04 de maio com as inscrições abertas para programa de estágio.

O Programa de Estágio foi criado com o objetivo de potencializar talentos e capacitar novos colaboradores, contribuindo para seu aprendizado e crescimento profissional, e está alinhado com a política de equidade da companhia, que hoje conta com 51% de mulheres em seu quadro de funcionários e as têm ocupando 49% dos cargos de gestão. Algo que nos orgulhamos muito, sempre buscamos melhorar e até mesmo servir como inspiração.

Além de bolsa-estágio no valor de R$ 2.300,00, a empresa oferece os seguintes benefícios: Vale Refeição; Vale Transporte ou auxílio estacionamento; Bonificação de fim de ano; Seguro de vida; Dog day;
Assistência médica; Assistência farmacêutica; Gympass; Subsídio para corridas de rua em todo território nacional.

A fim de evitar que os candidatos se desloquem pela cidade por conta do surto de coronavírus, todas as etapas do processo de seleção dos estagiários, incluindo uma entrevista gravada, serão realizadas via plataforma virtual. Apenas a última fase, com data a ser definida, poderá vir a ser realizada pessoalmente.

Há vagas para as seguintes formações: administração, marketing, comércio exterior, engenharia, recursos humanos, medicina veterinária entre outras.

Mais informações e inscrição pode ser feita no site abaixo:

www.bettha.com

Zoetis lança proteção contra a pneumonia bovina

Aspectos como transporte, mudança de ambiente e de dieta, alterações climáticas e poeira desencadeiam estresse nos bovinos e, com isso, a imunidade acaba se fragilizando. É nesse momento que os vírus atacam os animais, debilitando ainda mais seu sistema de defesa, abrindo portas para infecções bacterianas posteriores” , explica o médico-veterinário Everton Carvalho, Gerente Técnico de Bovinos e Equinos da Zoetis.

Carvalho esclarece ainda que, em confinamento, a ocorrência de pneumonia subclínica (sem sinais clínicos) é alta.

“Os que estão doentes, mas não manifestam sinais, apresentarão menor desempenho”, diz ele. Para se ter uma dimensão do problema, animais com pneumonia subclínica podem deixar de ganhar até 26 kg durante o período de confinamento.

Bovi-Shield Gold One Shot é a única vacina disponível no mercado brasileiro que confere proteção com apenas uma dose contra os principais vírus causadores de doenças respiratórias – IBR, BVD, BRSV e PI3 – e também contra a principal bactéria, Mannheimia haemolytica. “Nos sistemas de confinamento, geralmente temos apenas uma oportunidade de manejar preventivamente os animais: no momento da entrada. Essa vacina, além de segura e eficaz em proporcionar proteção contra a pneumonia, vem ao encontro de uma necessidade do produtor” , explica o médico-veterinário.

Para mais informações, acesse: http://www.zoetis.com.br

Raça Girolando será tema de palestra na PecLeite 2019

Acontece no dia 22 de novembro a primeira edição do “1º Pecleite UFJF – Encontro da Pecuária Leiteira”. O evento será realizado na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em Minas Gerais.

O evento apresentará tecnologias utilizadas para maximizar a produção de leite.

As inscrições já estão abertas e podem ser feitas pelo site www.even3.com.br/ipecleiteufjf/.

A expectativa é que participem médicos-veterinários, zootecnistas, agrônomos, estudantes dos cursos de Ciências Agrárias e produtores rurais da região.

Um dos palestrantes será o vice-presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, Odilon de Rezende Barbosa Filho, que abordará a evolução da raça Girolando nos últimos anos, suas principais características e as ferramentas de seleção existentes dentro do programa de melhoramento genético PMGG. A Girolando é uma das parceiras do evento.

A programação ainda terá as seguintes palestras:

  • Estratégias de Melhoramento Genético de Raças Leiteiras para os Trópicos – Maria Gabriela Campolina Diniz Peixoto
  • Planos Genéticos para Produtores de Leite – Klaus Hanser de Freitas
  • Crédito para Produção Rural – Antônio Domingues de Souza
  • Nutrição de Vacas no Período Pré-parto – Pietro Farsoun Pirozzi
  • Estratégias de Suplementação em Bovinos Leiteiros – Mirton José Frota Morenz
  • Eficiência Alimentar: Ferramentas para Avaliação de Dietas – Fernando Pimont Pôssas
  • Intensificação do Uso de Pastagens – Carlos Augusto de Miranda Gomide

O 1º Pecleite UFJF é promovido pelo Grupo de Pesquisa e Extensão em Produção e Nutrição de Ruminantes (PRORÚMEN).

Informações Girolando

Embrapa Gado de Leite apresenta resultado de pré-seleção de touros Girolando

A Embrapa Gado de Leite divulgou o resultado da sétima prova de pré-seleção de touros para o Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando. Dos 150 animais que se candidataram à pré-seleção, 25 se classificaram para participar do teste de progênie.

Este ano, a avalição genômica se tornou requisito para a entrada dos touros na pré-seleção, juntamente com outras características avaliadas nas seleções anteriores. “Isso torna a escolha dos animais mais precisa e refinada, impactando num salto de qualidade genética nas próximas edições do teste de progênie, além de reduzir o tempo e o custo do processo”, diz o pesquisador Marcos Vinícius G. B. da Silva.

Parceria – Em 2013, a Girolando, a Embrapa e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM) estabeleceram parceria com o objetivo de selecionar os melhores reprodutores antes de serem incluídos no teste de progênie. “Essa foi uma decisão importante, porque impediu que touros que não produziam sêmen de qualidade fossem incorporados ao programa, evitando atrasos e redução do número de touros testados”, diz o chefe geral da Embrapa Gado de Leite, Paulo Martins.

Atualmente, fazem parte da parceria a Universidade Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp-Jaboticabal), responsável pela avaliação de temperamento, e a Universidade Federal de Viçosa, que assumiu a avaliação das características reprodutivas.

Informações Embrapa Gado de Leite

Estresse por calor pode prejudicar a reprodução animal

Na nova edição da revista O Girolando, a equipe do Rehagro abordou em um artigo técnico o tema “Estresse por calor e perda gestacional”.

O texto destaca que para entender o que é o estresse por calor e como ele afeta os bovinos, primeiro precisamos entender como funciona a produção do calor no animal.

Esta produção acontece de duas formas: a endógena e o calor proveniente do meio externo. A forma endógena ocorre ao consumir alimentos que ao serem digeridos no trato digestivo geram calor pelo processo fermentativo no rúmen e no intestino; o calor nesse processo é elevado devido ao metabolismo dos nutrientes. O processo de absorção de nutrientes e a geração de novos tecidos geram, também, uma quantidade alta de calor. Essa produção de calor serve para manutenção da temperatura corpórea e parte dela deve ser perdida para o meio externo. A segunda forma é o calor exógeno que, ao contrário do que muitos pensam, está longe de ser o principal vilão do estresse calórico em vacas leiteiras. Ao produzir mais leite, o animal acaba tendo maior ingestão de matéria seca (IMS) da dieta e, consequentemente, gerando maior quantidade de calor endógeno, causando o maior impacto sobre sua produção de calor“, destacam os médicos-veterinários Rafael Santana Ferraz e Guilherme Corrêa.

Segundo eles, o estresse por calor compromete a expressão de cio e consequentemente a taxa de observação de cio nas propriedades, acarretando em grandes prejuízos econômicos para o sistema de produção. Afeta ainda o comportamento animal como manifestação de cios menos intensos, além de prejudicar o consumo de alimentos e a composição do leite em sólidos.

Confira o artigo na íntegra na edição online da revista. Clique aqui para ler.

Informações: Portal Girolando

ESALQSHOW 2019 acontece em outubro

A cidade de Piracicaba (SP) recebe nos dias 9 a 11 de outubro, no Campus USP “Luiz de Queiroz”, a terceira edição do ESALQSHOW – iniciativa da Esalq/USP, que conta com a Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz (Fealq) como parceira institucional e com a Araiby na organização.

A proposta, que visa fomentar a inovação e o empreendedorismo na agricultura, reúne uma série de ações para aproximar a academia do setor produtivo, do setor público e sociedade em geral.

O evento se propõe a estimular parcerias para intensificar a colaboração entre a universidade e os mercados nacional e internacional gerando novas oportunidades.

A 3ª edição do ESALQSHOW conta com o patrocínio da Coplacana, FAESP/Senar, John Deere, LS Tractor, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). O evento também tem o apoio da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Associação dos Ex-Alunos da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Adealq), Associação Comercial e Industrial de Piracicaba, Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários (ANDAV), Embrapa, ESALQTec, Fórum do Futuro, Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (IPEF), do MUTUA-SP, Prefeitura de Piracicaba, Prefeitura do Campus USP “Luiz de Queiroz” (PUSP-LQ), Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Secretaria de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, Sistema Ocesp e Sebrae-SP.

Mais informações: www.esalqshow.com.br.

Veterinário fala sobre mastite e estratégias para evitar perdas na produção

A mastite é uma inflamação da glândula mamária causada por micro-organismos, geralmente bactérias, que invadem o úbere. É muito frequente em vacas leiteiras e conhecida como uma das doenças com maior impacto na rentabilidade da bovinocultura leiteira mundial. “Se não tratada, compromete a quantidade e a qualidade do leite, além de resultar no descarte precoce de animais”, explica Bruno Lima, médico veterinário da Virbac – indústria farmacêutica veterinária.

Entretanto, a questão mais recorrente entre os produtores é “Como evitar perdas com a mastite”? “A resposta é simples: através da implantação de programas de controle e prevenção aliados a boas práticas de manejo”, responde Lima. Para isso, o produtor deve considerar:

1 – A sequência da linha de ordenha

O uso do teste CMT (California Mastits Test) auxilia o produtor a diagnosticar casos de infecções subclínicas no rebanho. O mapeamento dos animais contaminados é fundamental para ajudar a determinar a sequência de ordenha, e assim evitar a disseminação da doença dentro do rebanho. “Os animais jovens e sadios devem ser ordenhados primeiro. Na sequência, vacas com mastite subclínica e, por último, vacas com mastite clínica”, explica.

2 – Teste da caneca de fundo preto

Em toda ordenha, o teste da caneca de fundo preto deve ser realizado com o objetivo de identificar novos casos clínicos. O ideal é manter a incidência de novos casos clínicos de mastites no rebanho abaixo de 2% ao mês, e estes, quando identificados serem tratados corretamente.

3 – Correta higiene dos tetos na pré e pós-ordenha

A correta higiene e manejo pré e pós-ordenha são fundamentais para evitar a disseminação de patógenos contagiosos entre as vacas.

4 – Manutenção dos equipamentos de ordenha e aferição da pressão do vácuo

Equipamentos defeituosos, velhos, com borrachas ressecadas, limpeza inadequada dos canos e peças da ordenhadeira e com pressão de vácuo anormal podem resultar em novos casos de mastites no rebanho.

5 – Terapia de vaca seca

O tratamento das vacas no momento da secagem garante a proteção durante o período crítico para novas infecções – período seco, e diminui os riscos de mastite na próxima lactação.

6 – Descartar vacas com infecções crônicas

O descarte de vacas com mastite crônica é uma maneira prática e rápida para a redução do nível de infecção existente no rebanho. As vacas com mastite crônica (vacas com infecção da glândula mamária persistente por muito tempo prolongado ou lactações seguidas) funcionam como reservatórios de agentes causadores de mastite no rebanho, contaminando o ambiente e servindo como fonte de infecção para animais sadios.

7 – Tratamento dos casos clínicos

O uso de antibióticos via intramamária é a terapia de eleição nos casos de mastite, podendo ser complementada com o uso de antibióticos sistêmicos injetáveis, em casos mais graves pode ser associado também terapia anti-inflamatória. Para maiores taxas de curas nos tratamentos de mastites recomenda-se a realização de exames diagnósticos para identificação dos agentes causadores do problema.

Informações Assessoria de Imprensa

MT deve criar conselho do leite para fomentar cadeia

Uma das preocupações da atual diretoria da Associação dos Produtores de Leite de Mato Grosso (Aproleite-MT) é a relação do produtor com a porteira para fora. Segundo o presidente eleito neste mês de junho, Diogo Vilela Figueiredo Neto, também presidente do Sindicato Rural de Juscimeira, boa parte não sabe calcular o preço do seu leite.

Uma das ferramentas para auxiliá-lo nesta tarefa, entre outras, será a criação de um Conselho Paritário de Produtores e Indústrias de Leite (Conseleite), já existente em estados como Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Rondônia, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais, cuja função é propor soluções conjuntas, entre produtores e indústrias, para problemas comuns do setor.

Um passo neste sentido já foi dado. Realizou-se a primeira reunião da Câmara Técnica, quando se discutiu os parâmetros de utilização das informações a serem geradas pelo Conseleite.

Leia a reportagem na íntegra no site abaixo:

https://bit.ly/2xuAqdO

Professor da USP lança livro sobre mastite

Marcos Veiga, professor e pesquisador da Universidade de São Paulo (USP), lança a terceira edição do livro Controle da Mastite, escrito em parceria com o colega acadêmico Luis Fernando Laranja.

Com o patrocínio da Ourofino Saúde Animal, a obra reúne as mais recentes informações e pesquisas sobre procedimentos eficazes e assertivos no controle da enfermidade.

“Nessa edição, apresentamos os métodos e manejos para o controle das mastites clínica e subclínica, além de como produzir um leite com qualidade”, afirma Veiga.

O livro é direcionado para produtores e técnicos especializados na produção de leite, principalmente médicos-veterinários, engenheiros-agrônomos, zootecnistas, técnicos agrícolas e todos os estudantes das áreas de ciências agrárias. Para a Ourofino, o incentivo ao lançamento da obra está associado ao seu propósito de reimaginar a saúde animal, possibilitando aos pecuaristas conhecimento técnico adequado para o desenvolvimento saudável e rentável do setor.

“O conhecimento é a principal fonte de valor para sempre reimaginarmos a saúde animal, por isso fazemos questão de estar junto de uma iniciativa que contribuirá para a produtividade leiteira. Além disso, nossa empresa possui soluções que são líderes de mercado para o tratamento de mastite”, diz Gustavo Paranhos, gerente de produtos da Ourofino Saúde Animal.

Paranhos também pontua que a mastite acomete, em média, até 40% das vacas em lactação e, na maioria das vezes, são mensurados apenas prejuízos diretos, como descarte de leite e custo com medicamentos. Entretanto, ainda existem os prejuízos indiretos, que são os associados aos efeitos negativos que a mastite é capaz de provocar na produção do leite e na fertilidade das fêmeas. “Uma obra como a produzida por Marcos Veiga é importante porque compartilha informação e métodos de controle de uma doença de alto impacto nos rebanhos e, consequentemente, na lucratividade da fazenda.”

A obra Controle da Mastite está liberada para venda on-line. No site, o interessado pode parcelar no cartão de crédito ou ter desconto pelo pagamento à vista no boleto.

Serviço:

Livro: “Controle da Mastite e Qualidade do Leite”

Valor: R$ 199,90

Onde comprar: https://controledamastite.lojaintegrada.com.br/

Informações: 16 99171-5102