Drauzio Varella e Olivier Anquier participam da Megaleite 2017

A Megaleite 2017, evento que acontece nos dias 28 de junho a 1º de julho, no Parque da Gameleira, em Belo Horizonte (MG), terá um dia especial, o Megaleite Day.

O evento, agendado para o dia 28 de junho, a partir das 14h, no Tatersal 1 do Parque da Gameleira, contará com palestra do médico Drauzio Varella sobre saúde, estilo de vida e benefícios do consumo do leite como parte de uma dieta saudável.

Segundo ele, o leite é considerado um alimento de alto valor nutricional. “O leite é importante porque tem sais minerais, vitaminas e, especificamente, o cálcio, que é um componente essencial da dieta e existe em quantidades muito pequenas em outros alimentos”, informa.

O Megaleite Day terá também receita show ao vivo, com ingredientes à base de produtos lácteos, com um dos chefs mais famosos do Brasil, o francês Olivier Anquier.

Toda a renda proveniente da venda dos ingressos do Megaleite Day será revertida em compra de leite e doada para instituições assistenciais da capital mineira. O evento é uma parceria da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando e do #bebamaisleite, tendo o patrocínio da Camponesa e Tetra Park.

Participe!

Fazendas do Basa se destacam em Torneio Leiteiro de Franca

Dois exemplares da raça Gir Leiteiro, de propriedade das Fazendas do Basa, se destacaram durante a 48ª Expoagro – Exposição Agropecuária de Franca, no interior de São Paulo.

Com média superior a 59 kg de leite, Dourada FIV BRTG (Vaidoso X Tática), sagrou-se Grande Campeã do Torneio Leiteiro 2017. Dourada é uma doadora descendente de uma das principais matriarcas do Gir Leiteiro, Tática de Brasília, portanto irmã da recordista, Fábrica FIV de Brasília. Além disso, Dourada é irmã da Irajá, Hani, Fafá, todas doadoras do BASA com alta lactações.

E com média superior a 42 kg de leite, a novilha Marjory FIV do Basa (Sansão X Jiba) foi a Campeã Fêmea Jovem do torneio leiteiro.

Marjory, é uma primípara com muito potencial e um futuro promissor, já que com apenas 32 meses de idade, produziu mais de 42 kg de leite. Descende da grande recordista Jiba de Brasília, da família da Enamorada. Grande consistência genética aliado a grande capacidade produtiva.

Megaleite 2017 terá participação da Alta

A Alta, empresa de melhoramento genético bovino, participa da Megaleite 2017 (Exposição Brasileira do Agronegócio do Leite), considerado o maior evento do segmento do Brasil, realizado de 28 de junho a 1 de julho, em Belo Horizonte/MG.

A companhia irá apresentar aos pecuaristas tecnologias e soluções em genética que contribuem para aumento de produtividade e produção de leite na fazenda, além de produtos que facilitam o dia a dia no campo.

É o caso do colostro em pó, que já está sendo comercializado, e é exatamente o colostro natural da vaca, com todas as substâncias e os nutrientes necessários para a sobrevivência e o desenvolvimento do bezerro ao nascer, e que é determinante no desempenho e no futuro produtivo do animal, possibilitando expressar seu potencial genético ao longo da vida.

A equipe da Alta também está preparada para novos negócios e espera bons resultados comerciais durante a Feira, que traz grande público do mercado externo. “Nossa expectativa é grande na visita de comitivas estrangeiras durante a Feira e na comercialização de sêmen para fora do Brasil, uma vez que este público vem em busca da melhor genética para as raças Girolando e Gir Leiteiro”, explica Guilherme Marquez, Gerente de Produto Leite Nacional da Alta.

A Alta apresentará também a bateria de animais Gir Leiteiro, provados durante a ExpoZebu, que apresentaram ótimos resultados e são destaques no mercado. Também serão divulgados, ainda durante a Megaleite, os resultados do Teste de Progênie de Touros Girolando e será lançada a Prova Genômica de Girolando. “Em nossa bateria desta raça, destacamos o touro Irídio, que traz uma família consistente de leite e uma genética segura e pode apresentar resultados interessantes”, afirma Marquez.

Para as raças europeias, a Megaleite irá sediar a Etapa Mineira do Circuito Nacional da Raça Holandesa 2017 e 1ª Exposição Homologada da Raça Jersey de Minas Gerais. O programa Pecuária em Alta, exibido pelo canal Terra Viva, será transmitido direto do Parque da Gameleira, no dia 28 de junho.

Assessoria de Imprensa

Vem aí III Prova de Leite a Pasto

A Embrapa Cerrados (Planaltina -DF) e a parceria com a Associação de Criadores de Zebu do Planalto (ACZP) abre a partir desta segunda-feira (29) as inscrições para a 3ª Prova Brasileira de Produção de Leite a Pasto do Zebu Leiteiro.

A prova tem como objetivo identificar matrizes com potencial genético para a produção de leite a pasto em grupos contemporâneos de cada raça, promovendo o melhoramento genético de raças zebuínas com aptidão leiteira.

São oferecidas 20 vagas para novilhas da raça Gir Leiteiro, 12 vagas para novilhas da raça Guzerá e 12 vagas para novilhas da raça Sindi, que serão preenchidas de acordo com a ordem de chegada das inscrições.

Cada criador proprietário poderá inscrever até dois animais de cada raça, podendo inscrever uma terceira novilha a título de fila de espera caso as vagas totais não sejam preenchidas.

Podem participar da prova novilhas registradas na Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ) nas categorias puro de origem (PO) ou livro aberto (LA)*.
Elas devem ser primíparas com idade máxima de 46 meses na data do parto e estarem obrigatoriamente gestantes, sendo o parto efetivado dentro do período de adaptação.

Os animais deverão parir no período de 09/12/2017 a 28/02/2018, de acordo com os períodos limites de parição estabelecidos pela ABCZ. Para isso, devem ter sido inseminadas ou cobertas entre os dias 20/03/2017 e 19/04/2017.

Para se inscrever, é necessário preencher a ficha de inscrição e enviá-la para o e-mail aczp.df@uol.com.br.

Será cobrada uma taxa de R$ 2.500 por novilha inscrita, divididos em 10 parcelas mensais de R$ 250. O pagamento deve ser realizado por meio de boleto bancário enviado pela ACZP. Após o pagamento, o proprietário deve enviar a ficha de inscrição assinada e cópia do registro genealógico da novilha para o mesmo e-mail.

Mais informações sobre a prova podem ser obtidas pelo e-mail carlos.martins@embrapa.br ou no telefone (61) 3386‐0025.

Fazendas do Basa recebem integrantes da Embrapa

As Fazendas do Basa, importante criatório da raça Gir Leiteiro no país, recebeu recentemente a visita de Coordenador Geral da EMBRAPA, Dr. Paulo do Carmo Martins, dos pesquisadores Dr. Marcos Vinícius Barbosa, João Cláudio Panetto e do supervisor Armando Carvalho.

O grupo foi recebido em Leopoldina pelo pecuarista Evandro do Carmo Guimarães e sua Equipe.

Com o objetivo de aprimorar os programas de melhoramento da raça Gir Leiteiro, as Fazendas do BASA com a orientação da Equipe Técnica da EMBRAPA Gado de Leite iniciaram a genotipagem de todo seu plantel.

O pesquisador Dr. Marcos Vinícius revelou que “a seleção genômica é importantíssima para o melhoramento genético. Através dela é possível selecionar animais novos, diminuir o intervalo de gerações, intensificarem o melhoramento genético, como conseqüência, animais mais produtivos são produzidos”.

Já Dr. Paulo do Carmo Martins, não escondeu sua alegria em conhecer parte do trabalho desenvolvido nas Fazendas do BASA. “O Gir Leiteiro não estava na arca de Noé. Foi criado por pesquisadores brasileiros visionários, como o saudoso Mário Martinez, da Embrapa Gado de Leite. Hoje, visitei um dos melhores rebanhos Gir Leiteiro do mundo em Leopoldina – Zona da Mata mineira, numa das Fazendas do BASA, do pecuarista Evandro do Carmo Guimarães, que colocou pra si, a missão de desenvolver esta raça. Nunca tinha visto nada igual. Vimos vacas com lactação de 12 mil quilos! Saímos de uma das fazendas, motivados a promover uma sólida parceria público privada envolvendo seleção genômica”, explicou entusiasmado o chefe geral da Embrapa.

Quem também participou desta proveitosa reunião, foi o pecuarista e ex-secretário de Agricultura de Minas, Dr. João Cruz.

Para o pecuarista Evandro Guimarães, quando aumentar o contingente de selecionadores genômico, haverá maior confiabilidade dos produtos.

Informações assessoria de imprensa

Dono de chácara é multado em R$ 30 mil por desvio de córrego

Durante fiscalização realizada por Policiais Militares Ambientais de Aquidauana (MS) foram encontradas diversas degradações ambientais em uma chácara no município.

O proprietário do local construiu uma valeta de 1,5 metros de largura, desviando um córrego e degradando área protegida de preservação permanente (APP) de matas ciliares do curso d’água e, construiu também, várias valetas para drenar uma área de várzea.

Ele revelou a PMA que as atividades eram para a implantação de uma atividade de pesque-pague, porém, não possuía autorização do órgão ambiental.

O proprietário rural foi autuado administrativamente e multado em R$ 30 mil pelo desvio do córrego e degradação das áreas protegidas e responderá também por crime ambiental de degradação de área de preservação permanente (APP).

Artigo – Sucedâneos lácteos para bezerros leiteiros

Por Rafael Azevedo, zootecnista,
Mestre em Ciências Agrárias,
Doutor em Zootecnia e Gerente de Produtos da Alta

A criação de bezerros leiteiros é uma etapa em que os custos são elevados, com maior participação dos gastos relacionados ao fornecimento das dietas líquidas (leite ou sucedâneo). Estas condições fazem com que os animais sejam muitas vezes criados de forma inadequada, com um fornecimento restrito da dieta líquida, gerando comprometimento do desempenho e desenvolvimento dos animais. Alguns levantamentos demonstram que durante a fase de aleitamento, 70% do custo total com alimentação e manejo estão relacionados ao fornecimento de leite para os animais.

O leite é o principal alimento e o que possibilita melhores resultados aos bezerros nos primeiros meses de vida, porém, existem alternativas que podem ser utilizadas para redução dos custos nessa fase de alimentação, sem prejudicar o desenvolvimento dos mesmos, como a utilização de sucedâneos de boa qualidade. Sucedâneos são produtos comerciais, nos quais os constituintes lácteos são substituídos parcialmente por outros de origem animal ou vegetal. É importante salientar que eles não possuem a função de substituição do colostro, alimento de suma importância para garantir o nível adequado de imunidade para os animais nas primeiras horas de vida.

A utilização de sucedâneos no Brasil ainda possui grande oportunidade de mercado e já existem bons produtos no mercado nacional. Mas, ainda são encontrados trabalhos nacionais que relatam produtos que aumentaram as taxas de mortalidade e de diarreia dos animais, provavelmente relacionadas à presença de ingredientes contendo fatores antinutricionais. Porém, esses resultados devem ser avaliados com cautela, pois existem vários fatores que podem justificá-los, como a quantidade de produto fornecido e o tipo de manejo adotado. Sendo assim, na hora de escolher um sucedâneo, a composição e a constituição dos produtos devem ser avaliadas, bem como o tipo de manejo que será adotado, buscando sempre os melhores produtos disponibilizados no mercado.

Os sucedâneos do leite podem ser uma alternativa de substituto do leite, tendo em vista o seu alto poder de comercialização, podendo ser incorporado à dieta de bezerros, desde que o mesmo seja composto por fontes nutricionais de excelente qualidade.

No Brasil, a baixa utilização de sucedâneos pode ser explicada por vários fatores, sendo a formulação nutricional a barreira primordial. Os primeiros produtos disponíveis no mercado eram de baixa qualidade, não apresentavam formulação adequada em termos de fonte proteica e energética. Sendo que alguns sucedâneos apresentavam fonte proteica de baixa qualidade, geralmente à base de soja, sem processamento para redução de fatores antinutricionais e aumento da digestibilidade, resultando em redução no desempenho e aumento das taxas de mortalidade. Outros problemas comumente encontrados, e que até hoje podem ser observados, é a utilização de ingredientes com baixa solubilidade em alguns sucedâneos nacionais, resultando em uma difícil diluição do produto.

Segundo o NRC (2001) é recomendado que sucedâneos lácteos para bezerros contenham no mínimo 20% de proteína bruta (PB). É importante entender que as fontes proteicas utilizadas na formulação desses produtos são classificadas como lácteas e não-lácteas e os fatores críticos que afetam a utilização dessas fontes pelos bezerros incluem a digestibilidade, balanço de aminoácidos e a presença de fatores antinutricionais. Quando os produtos apresentam excesso de amido e fibra, baixa qualidade e inadequada incorporação das gorduras e fontes proteicas de baixo aproveitamento ou que possam provocar transtornos digestivos e problemas podem ser verificados nos animais, como aumento de diarreia e baixo desempenho.

O método de incorporação da gordura nos sucedâneos é o principal fator que afeta a digestibilidade dos lipídios e uma adequada dispersão da gordura é essencial para sua solubilização em água e consequentemente na sua digestão. Os sucedâneos lácteos geralmente contêm de 10 a 20% de gordura, ou seja, nível abaixo do encontrado no leite integral, que tem em média 28%. Os sucedâneos americanos são geralmente formulados com 20% de gordura, sendo que aqueles que não alcançam esses níveis não são mais comercializados.

Algumas opções para aumentar o nível de gordura no sucedâneo lácteo podem ser utilizadas, incluindo o sebo, uma gordura relativamente pouco aproveitada pelo animal, em razão da presença de ácidos graxos saturados, sendo estes de menor digestibilidade. A utilização da gordura vegetal em substituição à gordura animal na formulação de sucedâneos lácteos também pode ser uma fonte de gordura alternativa eficiente na composição de sucedâneos lácteos e resultados satisfatórios também foram obtidos com o uso exclusivo de óleos vegetais, como o da palma e do coco. Entretanto, os óleos vegetais apresentam custo maior que a gordura animal e devem ser evitados os óleos vegetais altamente insaturados como os presentes no óleo de soja, óleo de milho e óleo de girassol.

Mesmo que a utilização do leite seja uma excelente opção para fornecimento de nutrientes de alta qualidade para os bezerros, esse alimento possui maior custo que os sucedâneos e seus nutrientes podem variar em função do estágio de lactação, da nutrição, da flutuação de sólidos totais (ST) no uso do leite de descarte, entre outros fatores. Uma estratégia que pode contornar em parte esses problemas seria a adição de determinada quantidade de sucedâneo em pó, aumentando os ST da dieta líquida, sem aumentar o volume de leite oferecido aos bezerros.

Quando aumentamos os teores de sólidos da dieta líquida e mantemos o volume da mesma, os bezerros passam a consumir maior quantidade de nutrientes, semelhantes ao que estaria contido caso eles recebessem maior volume.

A utilização de bons sucedâneos lácteos em dieta de bezerros leiteiros pode ser uma alternativa para redução dos custos com esta fase de cria, sem contanto comprometer o desempenho dos animais. Durante a escolha de qual produto a ser utilizado, é muito importante levar em consideração a composição nutricional do mesmo, levando em consideração o aproveitamento dos nutrientes pelos animais, principalmente quanto a fração lipídica e proteica constituinte dos substitutos adotados. A opção de adensar o fornecimento de leite, incluindo bons sucedâneos a dieta líquida, pode ser uma alternativa interessante para favorecer o desempenho e o desenvolvimento dos bezerros.

O aleitamento artificial, com separação do bezerro da vaca, interfere no período de lactação da vaca?

A Embrapa Gado de Leite disponibiliza para o produtor rural a publicação “500 perguntas 500 respostas” destinado à criação de gado leiteiro. Uma das questões respondidas é: O aleitamento artificial, com separação do bezerro da vaca, interfere no período de lactação da vaca?

Segundo a publicação, as vacas das raças zebuínas, como a Gir, a Guzerá e a Sindi, praticamente não produzem leite sem o bezerro ao pé. As mestiças não selecionadas, sem o bezerro ao pé, tendem a diminuir a produção de leite e o período de lactação, ao passo que nas mestiças mais azebuadas esse problema é mais sério.

As vacas de raças europeias, como a Holandês, a Pardo-Suiça e a Jersey, produzem leite normalmente sem a presença do bezerro.

Nesse caso, o aleitameto artificialnão interfere no período de lactação da vaca. A seleção deve ser realizada para vacas que produzam leite sem o bezerro ao pé.

Informações Embrapa Gado de Leite – Coleção 500 Perguntas – 500 Respostas

Evento sobre gestão de fazendas leiteiras acontece em Lavras

A cidade de Lavras (MG) recebe no dia 27 de maio a 1ª edição do Dia da Gestão de Fazendas Leiteiras.

O evento, promovido pela Verde Campo, será realizado no Parque de Exposição do município.

Confira a programação:

11 horas: Credenciamento

12h30: Abertura com Alesandro Rios, Diretor Presidente da Verde Campo

13h00: Benefícios da Qualidade do Leite na Gestão das Fazendas, com Antônio Carlos Souza Lima Jr.- SL Consultoria em Agronegócio

14h00: Perspectivas e Cenário do mercado Lácteo em 2017, com Valter Galan, Milkpoint Mercado

15h00: Milk Break com receitas Verde Campo

16h00: Gestão e Viabilidade de Fazendas Leiteiras, com Wagner Beskow – Transpondo Treinamento e Consultoria

17h00: Debate

18h00: Encerramento – Noite de Caldos com ingredientes Verde Campo

Participe!

Inscrições podem ser realizadas pelo telefone (35) 3829-3027.

Expoagro de Franca começa nesta quarta-feira

Começa nesta quarta-feira (24) a Exposição Agropecuária de Franca – 48ª Expoagro, na cidade de Franca, interior de São Paulo.

A festa contará com 10 shows no Parque Fernando Costa.

A programação, que vai abranger diferentes vertentes da música sertaneja, começa hoje, 24, com uma noite inteira dedicada ao louvor com show do paulistano Pedro Geraldo Mazarão, o PG.

Na quinta-feira, 25, quem sobe ao palco são as duplas Maiara e Maraisa e Luiza e Maurílio. Na sexta, 26, será a vez de Franca rever Bruno e Marrone e o DJ preferido, Dennis DJ.

Sábado, 27, tem Zé Neto e Cristiano e Kleo Dibah e Rafael. Domingo, 28, sobem ao palco Humberto e Ronaldo, com portões abertos, sem cobrança de ingressos para a pista.

A festa recomeça na sexta-feira, 2 de junho, com shows “extras” da dupla fenômeno Jorge e Mateus e Jefferson Morais.

Informações sobre ingressos:

https://nettickets.com.br/expoagro-franca-2017/

Simpósio do Leite 2017 acontece em junho

A cidade de Erechim (RS) recebe nos dias 7 e 8 de junho a edição 2017 do Simpósio do Leite, evento promovido pela Associação dos Médicos Veterinários do Alto Uruguai (AMEVAU).

O intuito é apresentar uma visão mais realista para as perspectivas da agropecuária leiteira. Os atores que envolvem a cadeia produtiva do leite, têm a oportunidade de vislumbrar as reais necessidades que deverão ser trabalhadas, oferecendo subsídios para tomadas de decisão.

Durante o Simpósio serão realizados também o 8º Fórum Nacional de Lácteos e a 6ª Mostra e Trabalhos Científicos.

As inscrições estão abertas e podem ser realizadas no site:

http://simposiodoleite.com.br/site/#evento

Fenasul Expoleite começa nesta semana em Esteio (RS)

O Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), começa a receber os primeiros animais para a 13ª Feira Nacional de Agronegócios do Sul (Fenasul) e 40ª Expoleite, evento que acontece entre os dias 24 a 28 de maio.

O primeiro animal a dar entrada na Fenasul/Expoleite deste ano foi uma vaca da raça holandesa proveniente da cidade de Boa Vista do Cadeado.

Estão previstos para participar da exposição 115 exemplares da raça holandesa, que poderão dar entrada no Parque até às 20h de quarta-feira (24). Além do gado leiteiro, a Fenasul/Expoleite deve contar com mais de 1.500 animais, entre ovinos, caprinos, equinos e cães de pastoreio.

A entrada é gratuita e o público irá conferir atrações como exposição de bovinos, caprinos, equinos, feira de agricultura familiar, feira de terneiros e vaquilhonas, feira de pequenos animais, realização de seminários técnicos, exposição de máquinas e equipamentos agrícolas e praça de alimentação. Está programado também o 3º Rodeio Fenasul, organizado pela Federação Gaúcha de Laço, além de shows.

A Fenasul/Expoleite é uma promoção do governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação, em conjunto com a Secretaria do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo; Subsecretaria do Parque de Exposições Assis Brasil; Prefeitura de Esteio; Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul); Federação dos Trabalhadores na Agricultura no RS (Fetag); Organização das Cooperativas do Estado do RS (Ocergs); Emater/Ascar-RS; Sindicato da Indústria de Laticínios do RS (Sindilat); Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios do RS (Apil); Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas no RS (Simers); Associação dos Criadores de Gado Holandês do RS (Gadolando); Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC); Federação Brasileira das Associações de Criadores de Animais de Raça (Febrac); Federação Gaúcha de Laço; Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal (Fundesa) e Conselho Regional de Medicina Veterinária.

Inscrições abertas para Feilão Girolando Megaleite 2017

A 14ª Exposição Brasileira do Agronegócio do Leite – Megaleite – acontecerá de 28 de junho a 1º de julho, no Parque da Gameleira, em Belo Horizonte/MG.

Na parte de negócios, mais de 80 empresas já confirmaram presença no evento, que neste ano tem uma novidade nas formas de comercialização de animais. O 1º Feilão Girolando Megaleite 2017 é uma inovação da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando e consiste na oferta de animais inscritos na exposição, para negociação entre os criadores.

Serão ofertados até 50 lotes de bezerras, novilhas, vacas, aspirações/prenhezes e touros. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo portal WEB Girolando (www.girolando.com.br). Os lances poderão ser dados pelo site MF Rural ou no estande da empresa na Megaleite. O encerramento dos lances será no dia 1º de julho, às 10h. Também serão realizados oito leilões das raças Girolando e Gir Leiteiro.

Mais informações: http://www.girolando.com.br/userfiles/file/FEILAO.pdf

Informações: Girolando

Fazendas do BASA é destaque na EXPOZEBU 2017

As Fazendas dos BASA, Brasília, Calciolândia e Mutum, tiveram suas participações destacadas pela renomada revista e portal DBO, dentro do circuito da EXPOZEBU – 2017. Suas atuações nos leilões realizados durante esse tradicional evento do agronegócio, despertou a atenção da revista especializada no agronegócio, que deu os seguintes destaques: “Tradição do Gir Leiteiro tem oferta só de fêmeas – Quarteto de criadores Gir Leiteiro, negociou 27 animais com média de mais de R$ 33 mil”.

Com um primoroso trabalho de seleção e melhoramento genético da raça Gir Leiteiro, as Fazendas do BASA, vem se destacando com sucesso no Grupo de Elite dos selecionadores da raça. Em um desses leilões, o já consagrado “Tradição do Gir Leiteiro”, o recorde de valorização do leilão foi a Profana XlV FIV de Palma, cotada em R$ 123 mil.

A doadora destaque da seleção BASA, é filha de Fardo FIV F Mutum na consagrada Profana de Brasília, e o investidor em 50% de suas cotas, foi o pecuarista Eduardo Costa. Segundo Evandro Guimarães, “Profana XIV vem se destacando na fazenda pela qualidade de sua progênie, sendo uma doadora barriga de ouro”.

Além dos leilões, as Fazendas do BASA se destacaram no concorrido Torneio Leiteiro da EXPOZEBU, com a expressiva média de 62,18 Kg de leite/dia, obtendo o título de Reservada Grande Campeã Torneio leiteiro, Dourada FIV BRT filha de Vaidoso x Tática.

Outros destaques, ficaram a cargo dos descendentes da recordista da EXPOZEBU – Fábrica FIV de Brasília, através de sua filha Honesta e de seu neto Nóbrega FIV do BASA.

Honesta FIV do BASA, obteve o título de Grande Campeã de Progênie EXPOZEBU – 2017. Seu filho Nóbrega, reprodutor de excelência, pré-selecionado pela SEMEX, foi Reservado Campeão Júnior Maior. Nóbrega é filho de Radar em Honesta, e pertence a parceria entre as Fazendas do BASA, e o criador Raul Bracho da Venezuela.

Informações sobre a propriedade podem ser obtidas pelo telefone (32) 3441-6001.

Zootec 2017 terá palestra sobre confinamento

A gestão e as técnicas de confinamento bovino serão debatidas por especialistas durante simpósio no XXVII Congresso Brasileiro de Zootecnia – Zootec 2017, que acontece no Mendes Convention Center, em Santos (SP), entre os dias 22 a 24 de maio.

A primeira palestra é do médico-veterinário Marcio Caparroz, que assumiu recentemente a secretaria-executiva da International Beef Alliance (IBA). O tema de sua palestra é “Confinamento: panorama atual e ferramenta de segmentação de mercado” e tem início marcado às 13h30.

Na sequência o Dr. Rafael da Costa Cervieri, da Nutribeef Consultoria, ministra a palestra: “Atuação do nutricionista e panorama das recomendações nutricionais nos confinamentos brasileiros”.

Às 15h30, o zootecnista Rogério Marchiori Coan, diretor-técnico da Coan Consultoria, debate os problemas de gestão nos confinamentos brasileiros e suas possíveis soluções.

Após as palestras, haverá um debate sobre o tema com os três convidados.

Mais informações: http://migre.me/wEbkE