Estresse por calor pode prejudicar a reprodução animal

Na nova edição da revista O Girolando, a equipe do Rehagro abordou em um artigo técnico o tema “Estresse por calor e perda gestacional”.

O texto destaca que para entender o que é o estresse por calor e como ele afeta os bovinos, primeiro precisamos entender como funciona a produção do calor no animal.

Esta produção acontece de duas formas: a endógena e o calor proveniente do meio externo. A forma endógena ocorre ao consumir alimentos que ao serem digeridos no trato digestivo geram calor pelo processo fermentativo no rúmen e no intestino; o calor nesse processo é elevado devido ao metabolismo dos nutrientes. O processo de absorção de nutrientes e a geração de novos tecidos geram, também, uma quantidade alta de calor. Essa produção de calor serve para manutenção da temperatura corpórea e parte dela deve ser perdida para o meio externo. A segunda forma é o calor exógeno que, ao contrário do que muitos pensam, está longe de ser o principal vilão do estresse calórico em vacas leiteiras. Ao produzir mais leite, o animal acaba tendo maior ingestão de matéria seca (IMS) da dieta e, consequentemente, gerando maior quantidade de calor endógeno, causando o maior impacto sobre sua produção de calor“, destacam os médicos-veterinários Rafael Santana Ferraz e Guilherme Corrêa.

Segundo eles, o estresse por calor compromete a expressão de cio e consequentemente a taxa de observação de cio nas propriedades, acarretando em grandes prejuízos econômicos para o sistema de produção. Afeta ainda o comportamento animal como manifestação de cios menos intensos, além de prejudicar o consumo de alimentos e a composição do leite em sólidos.

Confira o artigo na íntegra na edição online da revista. Clique aqui para ler.

Informações: Portal Girolando

Leave a comment

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.