O Gir Leiteiro é um milagre da zootecnia, relata presidente da Embrapa

O Brasil é para as raças zebuínas produtoras de leite o que o Estados Unidos e o Canadá são para a raça holandesa. Este mérito se deve, principalmente à raça Gir Leiteiro, que no futuro terá uma participação ainda mais sólida na composição do rebanho bovino nos países de clima tropical. Como entusiastas da raça gostam de afirmar: O Gir Leiteiro é um milagre da zootecnia brasileira.

A evolução da raça é parte significativa da revolução alcançada pela pecuária de leite no Brasil, estendida aos demais países de clima tropical. O melhoramento genético do Gir Leiteiro coincide com o sensível aumento da produção e da produtividade de leite no país, nos últimos anos.

Quando questionado pela revista sobre o futuro da pecuária leiteira no brasil, Lopes destaca que  “A biotecnologia já mostrou que, por meio de marcadores genéticos, clonagem e transgenia, é possível acelerar o processo de melhoramento dos bovinos, criando populações resistentes a mastite, aos estresses térmicos e etc. A pesquisa básica de ponta, trará resultados com mediana rapidez para os produtores e a população em geral. A Embrapa está alinhada com as questões das ciências avançadas para garantir alimentos de qualidade e em quantidade suficiente para as futuras gerações.”
Serviço
A entrevista completa do presidente da Embrapa, Maurício Antônio Lopes, pode ser conferida na revista Gir Leiteiro do mês de maio, páginas 18 a 20.

Leave a comment

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked